Pesquisar

Nova Edição

Distribuição Gratuita
ISSN :2764-5304

Boeing recomenda inspeção no Sistema de Controle de Rudder nas aeronaves 737 MAX

LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Facebook

A Boeing (BA.N) está solicitando as companhias aéreas a realizarem inspeções nas aeronaves 737 MAX em busca de possíveis parafusos fixados no sistema de controle de rudder, conforme anunciado pela Administração Federal de Aviação (FAA) na quinta-feira. O motivo é verificar se a montagem do item segue os padrões da fabricante que identificou problemas em aeronaves de operadores internacionais.


A Boeing emitiu uma recomendação para que as companhias aéreas inspecionem suas aeronaves 737 MAX, após a descoberta de um parafuso com uma porca ausente durante a manutenção de rotina realizada por um operador internacional no mecanismo de ligação do controle do rudder, conforme informado pela FAA. A Boeing identificou outra aeronave não entregue com uma porca não devidamente apertada.

O Sistema Rudder

Em aeronaves da Boeing, o Sistema de Controle de Rudder, também conhecido como Sistema de Controle do Leme, é responsável por gerenciar o movimento do leme, que é a superfície de controle vertical localizada na cauda da aeronave.

Segundo a Boeing, o problema identificado na aeronave em questão foi corrigido, e, por precaução, estão recomendando que os operadores inspecionem suas aeronaves 737 MAX e relatem quaisquer descobertas. A FAA está monitorando de perto as inspeções direcionadas aos 737 MAX da Boeing e considerará ações adicionais com base em novas descobertas de hardware solto ou ausente.

A fabricante de aeronaves sugeriu que as companhias aéreas realizem as inspeções em suas aeronaves MAX dentro de duas semanas, garantindo, no entanto, que as aeronaves já entregues podem continuar a voar com segurança. A produção e entrega das aeronaves MAX não serão interrompidas.

A questão não afeta as aeronaves mais antigas da geração 737 Next Generation, esclareceu a Boeing.

United Airlines (UAL.O) e American Airlines (AAL.O), duas importantes clientes domésticas do 737 MAX, afirmaram que não esperam impactos nas operações devido às inspeções. A Southwest Airlines (LUV.N), uma transportadora dos EUA que opera exclusivamente as aeronaves 737 NG e MAX, ainda não respondeu aos pedidos de comentários.

A FAA informou que a Boeing emitiu uma mensagem convocando os operadores de aeronaves mais recentes de corredor único a inspecionar hastes específicas que controlam o movimento do rudder em busca de hardware solto. As inspeções envolvem a remoção de um painel de acesso e a validação da instalação adequada do hardware, um processo que deve levar duas horas.

A FAA permanecerá em contato com a Boeing e as companhias aéreas durante as inspeções, solicitando que as empresas informem se algum hardware solto foi detectado anteriormente e forneçam detalhes sobre a rapidez com que essas inspeções podem ser concluídas.

No momento não existe motivos para preocupações por parte dos passageiros. Esses Boletins de Serviços sevem para aumetar a segurança e confiabilidade do projeto. No mais estaremos acompanhando as frotas mundiais e os seus resultados.

No Brasil, a única operadora Nacional do 737Max, a Gol Linhas Aéreas, ainda não falou sobre o caso.

Comentários

EM ALTA

Nesta semana, a Azul Conecta promoveu um evento de lançamento da Nova Pintura “Pantanal Azul” em alusão ao Centro-Oeste brasileiro. As novas cores do Cessna 208B Grand Caravan matriculado pelo código PT-MEO que foi apresentado no Hangar da Azul Conecta em Jundiaí.

Leia Mais
ASAS ROTATIVAS
plugins premium WordPress