Pesquisar

Nova Edição

Distribuição Gratuita
ISSN :2764-5304

COMAC Estabelece Novo Preço de Referência para C919

LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Facebook

A Corporação de Aeronaves Comerciais da China (COMAC), uma fabricante estatal chinesa de aeronaves, definiu um novo preço de referência para sua aeronave C919, cobrando 108 milhões de dólares por aeronave em seu recente acordo com a Air China. Isso representa um aumento de 9 milhões em comparação com o preço oferecido em 2022 para a China Eastern Airlines.

Projeto de Aeronavegabilidade Chinês

A aeronave C919 é o primeiro avião a jato desenvolvido de forma independente pela China conforme os padrões internacionais de aeronavegabilidade, incluindo direitos de propriedade intelectual independentes. A aeronave C919 tem um layout de 158 a 192 assentos e um alcance de 4.075 a 5.555 quilômetros. A primeira aeronave foi lançada em 2 de novembro de 2015 sendo em 5 de maio de 2017, o o primeiro voo de teste.

A proposta do C919 é representar a independência da indústria de aviação da China, mostrando as ambições e capacidades do país no desenvolvimento de aeronaves comerciais avançadas.

Agora vem a grande pergunta: é seguro voar no C919? Um dos itens que mais temos receio em uma aeronave é o motor. A aeronave é equipada com motores SAFRAN LEAP-2C, sendo a mesma família de motores do Airbus A320 e Boeing 737, cuja tecnologia incorpora os mais altos padrões de segurança. O projeto foi construído com base nas novas tecnologias de materiais leves de alta resistência e durabilidade e o Cockpit embarca as mais novas tecnologias de navegação e pilotagem com uso de sistemas Fly-by-wire.

Dadas as breves considerações, o C919 ainda será objeto de muitas perguntas, pois ainda que esteja usando equipamentos e tecnologia ocidental, o projeto chinês deve passar pelo período de maturação que é comum a todos os projetos de aeronaves. Esse tempo é fundamental para avaliar o comportamento dos sistemas diante da operação comercial.

Competindo com Boeing e Airbus

Enquanto a Boeing retorna ao mercado chinês, a COMAC intensificou seus esforços para aumentar a presença de mercado do C919. A aeronave visa competir com as famílias 737NG da Boeing e A320ceo da Airbus no vasto mercado doméstico e de médio alcance da China, juntamente com seus mercados periféricos.

Busca de Apoio Governamental para Expansão de Mercado

O Gerente Geral da COMAC, Zhou Xinmin, recentemente solicitou apoio adicional do governo, como incentivos para companhias aéreas e aeroportos, para promover ainda mais a adoção de aeronaves produzidas na China.

O C919, com capacidade para 192 passageiros e alcance de 5.555 km, é uma clara demonstração da capacidade industrial chinesa, que levou décadas para se desenvolver e que tem o ARJ21 como seu primeiro exemplo da capacidade para a produção em massa de aeronaves.

Essa ambição se estende ao desenvolvimento de uma aeronave de fuselagem larga, o C929, que inicialmente seria desenvolvido em conjunto com a Rússia, mas que continuará sendo produzido sozinho para consolidar ainda mais sua posição no mercado.

Com a Boeing prevendo a necessidade de 8.560 novas aeronaves de passageiros na China até 2042, o cenário da aviação do país está passando por uma transformação dinâmica. Garantir uma fatia desse mercado assegura a sobrevivência econômica de qualquer fabricante, e a COMAC está mostrando que a aeronave funciona, pois não apresentou falhas desde sua entrada em operação comercial, contudo só o tempo poderá confirmar estas afirmações.

Comentários

YOUTUBE
INSTAGRAM
DESTAQUE
EM ALTA

Essa iniciativa representa um avanço na capilaridade das rotas latino americanas, fato que coloca a Azul Linhas Aéreas em posição de destaque no cenário turístico Sul Americano.

Leia Mais
ASAS ROTATIVAS
plugins premium WordPress