Pesquisar

Nova Edição

Distribuição Gratuita
ISSN :2764-5304

Helicóptero desaparecido há 12 dias é encontrado pela Polícia Militar

LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Facebook

Após dias de intensas buscas, o Helicóptero da Polícia Militar de São Paulo localizou os destroços do Robinson R44 e prefixo PR-HDB partiu do Campo de Marte, na capital paulista, em direção a Ilhabela, no litoral norte. A aeronave foi encontrada em uma mata fechada no município de Paraibuna, Vale do Paraíba. Infelizmente a morte dos ocupantes foi confirmada pelas autoridades e a prioridade é a remoção dos corpos do local do acidente.

Histórico do Acidente
O helicóptero, que decolou no dia 31 de dezembro, transportava o piloto e três passageiros, identificados como Luciana Rodzewics, de 45 anos, sua filha Letícia Ayumi Rodzewics Sakumoto, de 20 anos, e Rafael Torres, amigo da família. O desaparecimento mobilizou a Força Aérea Brasileira, Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros de São Paulo, que concentraram as buscas na região da Serra do Mar, abrangendo o litoral norte e Vale do Paraíba.

O Águia 24, da Polícia Militar, foi responsável por localizar os destroços da aeronave na mata fechada. Após a localização, uma equipe espacializada em salvamento SAR foi acionada para descer até o local dos destroços para averiguar o estado das vítimas. Apesar do tempo, sempre existe a esperança de sobreviventes em acidentes aéreos, no entanto, os quatro ocupantes não sobreviveram ao impacto.

As investigações serão conduzidas pelo SERIPA 4 (Quarto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) para identificar as causas do acidente. O intuito é aumentar a segurança e não buscar culpados. Cabe a outros órgãos a qualificação de possíveis ações na esfera civil ou criminal.

O desfecho do desaparecimento do helicóptero traz alívio ao encerrar a angustiante espera por notícias. A remoção dos corpos para suas famílias e os detalhes sobre as circunstâncias do acidente devem ser esclarecidos à medida que as equipes de resgate e investigação atuam no local. O tempo instável no Estado de São Paulo está dificultando o acesso ao local do acidente, que fica a pelo menos duas horas de trilha do topo do morro. Uma equipe de militares da Polícia Militar e da Força Aérea Brasileira, estão se preparando para iniciar a remoção assim que as condições meteorológicas permitirem uma operação segura.

Comentários

YOUTUBE
INSTAGRAM
DESTAQUE
EM ALTA

Essa iniciativa representa um avanço na capilaridade das rotas latino americanas, fato que coloca a Azul Linhas Aéreas em posição de destaque no cenário turístico Sul Americano.

Leia Mais
ASAS ROTATIVAS
plugins premium WordPress