Pesquisar

Nova Edição

Distribuição Gratuita
ISSN :2764-5304

Segurança e Controle do movimento aéreo de helicópteros no Brasil

LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Facebook

A Força Aérea Brasileira (FAB), por meio do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), desempenha um papel promover a segurança e controle do intenso tráfego de helicópteros no Brasil. Com a maior frota de helicópteros do mundo, o país enfrenta desafios singulares, sendo pioneira na implementação do sistema HELICONTROL para garantir a convivência segura de aeronaves em áreas como o Aeroporto de Congonhas.

Gerenciar a frota de helicópteros no Brasil, o país com a maior quantidade dessas aeronaves no mundo, requer do Departamento de Controle do Espaço Aéreo desafios para manter as rotas especias de helicópteros funcionando em harmonia com o espaço aéreo. Com mais de dois mil helicópteros registrados, especialmente em São Paulo, é fundamental garantir a segurança e fluidez das operações.

Foto Luiz Carlos Jr

Desafios e Soluções na Região Metropolitana de São Paulo.

A região metropolitana de São Paulo concentra uma quantidade significativa de helicópteros, com mais de 260 helipontos e 2.200 pousos e decolagens diários. A FAB implementou soluções pioneiras, como o sistema HELICONTROL, único no mundo, operado na Torre de Controle de Congonhas. As Rotas Especiais para Helicópteros (REH) na Terminal São Paulo organizam o tráfego de asas rotativas, garantindo segurança e fluidez.

De acordo com a FAB, o sistema HELICONTROL é operado na Torre de Controle de Congonhas, em São Paulo (SP), para garantir a convivência segura de aviões e helicópteros na aproximação do aeroporto, sendo o segundo mais movimentado do Brasil.

Tecnologias e Ferramentas de Controle.

Os Controladores de Tráfego Aéreo contam com sistemas avançados, o Sistema Avançado de Gerenciamento de Informações de Tráfego Aéreo e Relatórios de Interesse Operacional (SAGITARIO); o Controle Total da Informação de Tráfego Aéreo (TATIC) – que é um sistema para inserção das informações dos voos; e as facilidades da comunicação por meio do Sistema de Vigilância Dependente Automática por Radiodifusão (ADS-B) – sistema pioneiro desenvolvido pelo DECEA.

Movimentos Aéreos Offshore e Segurança nas Operações.

O Brasil como país produtor de petróleo em alto mar, conta um intenso movimento de diversas plataformas localizadas no litoral brasileiro. A recente alteração na circulação aérea na Terminal Macaé (TMA-ME), localizada na bacia de Campos, promoveu melhorias na segurança das operações de helicópteros, com mudanças na classificação espaço aéreo, passando de “D” para “C”, e limites verticais e horizontais ajustados. Essas mudanças visam garantir voos mais seguros na região oceânica.

Foto Luiz Carlos Jr

Editorial

A FAB, por meio do DECEA, desempenha um papel vital no controle e segurança das operações de helicópteros no Brasil. Neste quesito podemos lembrar da grande operação montada para comportar um tráfego aéreo de pelo menos 350 operações no grande prêmio de Fórmula 1. Foram três dias de operações sob a coordenação direta do Centro Regional de Controle do Espeço Aéreo do Sudeste (CRCEA-SE) em termos do tráfego aéreo.

Palavras-chave: FAB, DECEA, helicópteros, controle de tráfego aéreo, segurança aérea, inovação, espaço aéreo, tecnologia.

Comentários

YOUTUBE
INSTAGRAM
DESTAQUE
EM ALTA

Essa iniciativa representa um avanço na capilaridade das rotas latino americanas, fato que coloca a Azul Linhas Aéreas em posição de destaque no cenário turístico Sul Americano.

Leia Mais
ASAS ROTATIVAS
plugins premium WordPress