Pesquisar

Nova Edição

Distribuição Gratuita
ISSN :2764-5304

Virgin Atlantic has been granted approval by the UK Civil Aviation Authority

Virgin Atlantic obtém aprovação histórica para voo transatlântico com biocombustível

LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Facebook

A Virgin Atlantic recebeu a aprovação da Autoridade de Aviação Civil do Reino Unido (CAA) para realizar um voo transatlântico inédito usando um Boeing 787-9 abastecido com 100% de combustível de aviação sustentável (SAF).

Com uma janela de dois dias, de 28 a 29 de novembro, a permissão de voo permitirá à Virgin operar o serviço entre os aeroportos de Londres Heathrow e Nova Iorque JFK, um dos mais concorridos por viajantes europeus e americanos. Caso a Virgin não consiga voar nas datas programadas, buscará modificar a aprovação, conforme o centro de controle operacional.

No entanto, a aprovação da CAA é apenas uma das várias necessárias para o voo acontecer. A Virgin também precisa obter permissões semelhantes dos reguladores da Irlanda, Canadá e dos EUA. Todas essas autorizações levam em considerações regras regulatórias para manutenção da segurança durante o voo.

A Virgin informou que enviou as solicitações para os órgãos reguladores no início de novembro, acrescentando: “Os prazos para as autoridades respectivas variam, mas a Virgin Atlantic espera que todos sejam concluídos dentro de duas semanas”. Esse período se encerrará por volta de 17 de novembro.

Sob o código de voo VS100, o serviço não terá permissão para transportar passageiros pagantes, mas poderá transportar “um número de observadores a bordo com base não comercial”, pois se trata de operação especial que, no entanto, garante a segurança de todos como um voo comum.

Divulgação Virgin Atlantic

A aprovação da CAA para a operação segue um programa de análises técnicas feito pelo regulador, que analisou diferentes aspectos do voo planejado, incluindo os resultados em julho dos testes em solo de um motor Rolls-Royce Trent 1000 funcionando com 100% de SAF.

Parcialmente financiado pelo governo do Reino Unido, o projeto é liderado pela Virgin, mas inclui um consórcio de grandes nomes, incluindo Boeing, Rolls-Royce, BP e várias entidades de pesquisa. O objetivo é demonstrar que o SAF é uma alternativa viável ao combustível de aviação convencional.

“A permissão da Autoridade de Aviação Civil para o voo Flight100 marca um marco importante e uma grande conquista para todas as equipes envolvidas nesse voo histórico. Chegar a este ponto levou mais de um ano e exigiu uma colaboração radical entre nossos parceiros no consórcio e o governo”, disse Shai Weiss, CEO da Virgin.

“Estamos comprometidos em usar 10% de SAF até 2030, mas, para alcançar esse objetivo, precisamos do apoio do governo na criação de uma indústria de SAF no Reino Unido. Sabemos que, se pudermos produzi-lo, poderemos usá-lo.”

Esta ação pode ser uma oportunidade para que outras Cias Aéreos pelo mundo façam o mesmo e desta forma toda a indústria ganha em credibilidade e sustentabilidade.

Comentários

YOUTUBE
INSTAGRAM
DESTAQUE
EM ALTA

Essa iniciativa representa um avanço na capilaridade das rotas latino americanas, fato que coloca a Azul Linhas Aéreas em posição de destaque no cenário turístico Sul Americano.

Leia Mais
ASAS ROTATIVAS
plugins premium WordPress